Home
Introdução
Artigos
Avivamento
Curiosidades
Estudos Bíblicos
Edificação
Igreja Pedra Viva
Jóias Raras
Minhas Reflexões
Ministério Cristão
Novas de Alegria
Seleções Notáveis
Fale Comigo
Recomende
teste
Curiosidades
Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar
O menino, a onça e a lua
Pedro Liasch Filho

Contou-me o meu avô uma história, a que ele chamou de O Menino, A Onça e A Lua. É o caso de um lavrador que plantava mandioca para fazer polvilho, com o qual fazia biscoitos para vender na cidade e na vizinhança.

Certo dia, no escurecer, ele pediu para o filho, um garoto de 12 anos, que levasse uma cesta de biscoitos para um dos vizinhos, que ficava uns dois quilômetros dali. Embora a trilha passasse à beira de uma restinga de mato, e fosse noite, era lua cheia, e a noite estava bastante clara.

O menino pegou a dita cesta cheia de biscoitos, ajeitou-a sobre a cabeça, e saiu. Quando, porém, chegou à restinga de mato, ele deparou com um vulto que estava bem no meio do caminho. Diminuiu os passos e, devagar, foi se aproximando. Quando chegou bem perto, o garoto levou um grande susto. Era uma onça pintada, que, sentada bem no meio da trilha, estava olhando para a lua.

O menino, pasmado, estático, de tanto medo fechou os olhos e começou a tremer de corpo inteiro. Passado, porém, alguns instantes, um pouco mais calmo, ele abriu os olhos, olhou para frente, para os lados e para trás e não viu nada. A onça tinha desaparecido.

, soltando um grito de desespero, virou-se e voltou correndo para a casa.  Chegando em casa, chorando e chamando pelo pai, que também amedrontado, veio abraçá-lo à porta, o garoto, soluçando, disse-lhe: Pai, você não vai acreditar. Eu vi uma onça. O pai, correndo para dentro de casa, a fim de pegar a espingarda, pergunta: Onde está ela, filho? O menino diz: Ela fugiu. Replica o pai: Fugiu? Para onde?  E ele responde: Não sei.

Passado o susto, ele contou ao pai que, tendo encontrado a onça no meio da trilha, teve tanto medo que, paralisado, fechou os olhos e começou a tremer incontrolavelmente. , o pai lhe disse: Meu filho, foi isso, a sua tremedeira o salvou de uma tragédia. Estou certo de que Deus lhe provocou todo aquele medo, para que você começasse a tremer de corpo inteiro. Com isso, a cesta de biscoitos que estava na sua cabeça, produzindo vibração, fez uns ruídos estranhos, que amedrontou a onça, que, apavorada, acabou fugindo.

Fato semelhante aconteceu com o povo de Israel, que, cercado pelos siros, não podia sair da cidade, nem para conseguir comida (2Re 7). De noite, porém, Deus fez um grande barulho, como se fosse um ruído de muitos exércitos, aliados de Israel, que se aproximavam para atacar os siros.

Ouvindo esse barulho, os soldados, apavorados, fugiram e abandonaram o arraial, deixando para trás jumentos, cavalos, vestimentas, armas e ainda muito mantimento. Isso não libertou Israel do cerco, mas também acabou com a fome de todo o povo.

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28).

“... Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (1Co 10.13).

 “... Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti...” (Is 43.2).

Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar