Home
Introdução
Artigos
Avivamento
Curiosidades
Estudos Bíblicos
Edificação
Igreja Pedra Viva
Jóias Raras
Minhas Reflexões
Ministério Cristão
Novas de Alegria
Seleções Notáveis
Fale Comigo
Recomende
teste
Curiosidades
Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar
Sobrou um camelo
Pedro Liasch Filho

Li de um antigo boletim de escola dominical, publicado em Portugal, na primeira metade do século XX, um caso oriental interessante e curioso, numa versão adaptada do caso dos 35 camelos de Malba Tahan, o homem que calculava.

Tornando-se doente um chefe de família, e sentindo-se próximo da morte, fez o seu testamento de maneira que os seus filhos ficassem contentes. Passados alguns dias o homem morreu. Os filhos ficaram tristes muito naturalmente, porém se consolaram com o fato de que o velho tinha vivido uma vida longa, útil e honesta. Logo, sem remorsos, poderiam gozar a fortuna que lhes legara o bondoso pai.

Abrindo-se o testamento, notaram que o filho mais velho receberia a metade da fortuna; o segundo filho, o do meio, um terço; e o mais novo, um nono. Ficaram satisfeitos, pois acharam a partilha justa. não sabiam que a herança consistia de 17 camelos. Ora, como dividir os bens, sabendo-se que a metade de 17 é 8 ½? Não poderiam matar um camelo e parti-lo ao meio. Isso nada lhes aproveitaria.

Ainda assim, lembraram-se os rapazes de que tinham um tio, que embora pobre, era muito sábio. Resolveram consultá-lo. Chegando à casa do parente, depois de uma longa jornada, contaram-lhe o problema.

Tendo ouvido atentamente o caso, o tio, pensativo, depois de alguns minutos, disse aos sobrinhos que encontrara uma solução para o problema. Ele possuía um camelo e doaria esse animal aos rapazes, assim, com dezoito camelos poderiam efetuar a partilha sem nenhum problema.

Assim, voltando para casa, os três herdeiros, com o camelo do tio, foi fácil fazer a divisão: metade de dezoito, nove, a herança do filho mais velho; um terço de dezoito, seis, a parte do filho do meio; e um nono de dezoito, dois, quanto coube ao filho menor. 

Então veio a surpresa: 9 + 6 + 2 = 17. Sobrou um camelo.

Depois de cada um dos herdeiros receber todo satisfeito a sua parte, estava inteirinho o animal que tinha resolvido a questão. Assim, voltando à casa do tio, demonstrando afetuosa gratidão, os rapazes com muita alegria devolveram-lhe o camelo que sobrara da partilha.

Quantos problemas até mais difíceis que esse poderão ser resolvidos se estivermos dispostos a ceder alguma coisa. Disse Jesus quemaior felicidade em dar do que receber (At 20.35).  

“Se vires o jumento que é de teu irmão, ou o seu boi, caídos no caminho, não te desviarás deles; sem falta o ajudarás a levantá-los” (Dt 22.4).

“E, quando teu irmão empobrecer, e as suas forças decaírem, então sustentá-lo-ás, como estrangeiro e peregrino viverá contigo” (Lv 25.35).

“A alma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido” (Pv 11.25).

“Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo” (Gl 6.2).

Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar