Home
Introdução
Artigos
Avivamento
Curiosidades
Estudos Bíblicos
Edificação
Igreja Pedra Viva
Jóias Raras
Minhas Reflexões
Ministério Cristão
Novas de Alegria
Seleções Notáveis
Fale Comigo
Recomende
teste
Curiosidades
Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar
O homem mais velho do mundo
Pedro Liasch Filho

Matusalém, filho de Enoque, um dos patriarcas da humanidade, foi o homem que mais viveu sobre a face da terra. Foram exatos 969 anos. Quando se tornou pai de Lameque (Gn 5.25), tinha completado 187 anos. Muitos não se lembram de que Matusalém foi o avô de Noé, e também foi mencionado na genealogia que vai de Jesus até Adão (Lc 3.37).

Fato curioso é que a vida longa de Matusalém coincidiu em parte com a vida de Adão, com o qual viveu contemporaneamente durante um período de 243 anos, formando desse modo uma ponte de ligação entre o Jardim do Éden e o mundo pós-diluviano. Matusalém morreu no mesmo ano em que ocorreu o Dilúvio.

Considerando-se que, segundo a Bíblia (Sl 90.10), o homem viveria até os 70 ou 80 anos, questiona-se o fato segundo o qual como poderia alguém viver mais de 900 anos, como, por exemplo, Adão, 930 anos (Gn 5.5), Noé, 950 anos (Gn 9.29) e Matusalém, 969 anos (Gn 5.27).

Lembre-se, porém, de que o Salmo 90, de autoria de Moisés, embora tenha sido escrito cerca de 1400 anos antes de Cristo, o texto surgiu quando a longevidade do ser humano tinha baixado para a faixa dos 80 anos. Note-se que existem exceções, tanto agora, como antigamente, a saber, Moisés morreu com 120 anos (Dt 34.7).

Segundo o Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia, pg. 44, 1999, Alguns sugerem que aquelesanos” seriam realmente apenas meses, o que reduziria 900 anos ao período normal de vida de 80 anos. Entretanto isso não é plausível por duas razões. A primeira é que não há precedente algum no Antigo Testamento que tome a palavraanocom o sentido de “mês”. A segunda é que, como Maalalel (Gn 5.15) com a idade de 65 anos, e Cainã (Gn 5.12) aos 70 anos geraram filhos, isso significaria que eles estariam com menos de 6 anos de idade ao terem filhos, o que é biologicamente impossível. Tais fatos confirmam que a longevidade para mais de 900 anos dos patriarcas da humanidade era de fato real.

No entanto, quanto aos dias de vida dos descendentes de Adão, nota-se que depois do Dilúvio foram diminuindo gradativamente. Veja que da média de 900 anos, das primeiras gerações, a longevidade foi decrescendo nas gerações seguintes. Por exemplo, Sem, filho de Noé (Gn 11.10, 11) viveu em torno de 600 anos. Salá, bisneto de Noé (Gn 11.14, 15), viveu cerca de 430 anos. Reú, a sexta geração de Noé (Gn 11.20, 21), viveu próximo dos 240 anos. Naor, a oitava geração de Noé (Gn 11.24, 25), viveu 148 anos.

Observe-se que Adão, até o dia em que desobedeceu a Deus quando comeu do fruto proibido, possuía a vida eterna (Gn 2.16, 17). E mesmo tendo pecado contra Deus, ainda conservou um resíduo de longevidade, vivendo 930 anos, até que se cumprisse o veredicto divino sobre sua morte.

Acredita-se que a redução da longevidade humana deveu-se a um castigo divino, uma vez que, tendo o homem desobedecido ao seu criador, Deus, através do seu Espírito, deixou de agir no homem. Na verdade, não impediu que o homem vivesse eternamente, mas ainda reduziu os seus anos de vida. “Por causa da perversidade do homem, meu Espírito não contenderá com ele para sempre ele viverá cento e vinte anos”. Gn 6.3.

Viver 70 ou 80 anos, longe de Deus, é uma eternidade; imagine viver 900 anos, sem Deus! Enoque foi uma exceção dos patriarcas, não no que tange ao melancólico refrão, dito no fim de todos os homens: e morreu; como também no que se refere a uma vida feliz, pois ele andou, isto é, viveu com Deus. “Enoque andou com Deus; e não foi encontrado, pois Deus o havia arrebatado”. Gn 5.24.

Lembre-se de que o Espírito de Deus é o doador da vida. Enoque viveu bem os seus 365 anos terrestres, e ainda recebeu a vida eterna, porque Deus conservou nele o seu Espírito. Caso Deus retire do homem o seu Espírito, a vida dele cessa. “O Espírito de Deus me fez; e a inspiração do Todo-Poderoso me deu vida” (Jó 33.4).

Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram” (Rm 5.12). 

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor”. Rm 6.23. 

“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação” (Hb 9.27, 28).

Enviar para um amigo | Versão para impressão | Voltar |  Recomendar